Blefaroplastia

A area dos olhos permanecem em posição de destaque na estrutura da face exercendo grande influência na transmissão dos sentimento de uma pessoa. Porém, com o passar do tempo, as estruturas palpebrais vão se tornando frouxas, levando à um excesso de pele e protrusão das bolsas de gordura que ficam sob as pálpebras. Essas alterações podem ser evidenciadas pelas dobras da pele e pelo abaulamento dessa região, conferindo um aspecto facial de tristeza e cansaço. Noto frequentemente em meu consultório que as queixas incluem muito mais do que a aparência inestética, a realidade de que a área dos olhos começam a passar uma informação errada as outra pessoas, como se o paciente acometido por estas alterações estivesse na verdade mais cansado ou triste do que realmente encontra-se.

A cirurgia das pálpebras corrige estas alterações ao retirar o excesso de pele e reduzir as bolsas de gordura, tornando as pálpebras mais planas e lisas, reestabelecendo assim, um aspecto facial mais alegre e descansado.

O que é?

A pele em excesso e as bolsas que se formam nas pálpebras são sinais de envelhecimento da pele facial. Além do incômodo estético também podem atrapalhar a visão. A cirurgia da pálpebra, cujo nome técnico e blefaroplastia é um procedimento de cirurgia plástica criado para corrigir estes problemas estéticos e funcionais. Mesmo pessoas mais jovens, se tiverem uma tendência familiar, podem apresentar este incômodo.

 

As melhores indicações para cirurgia de pálpebra

A blefaroplastia, como dissemos, é indicada para correção da flacidez muscular e da pele e também das bolsas palpebrais. Entretanto, esta cirurgia não removerá os pés de galinha nem eliminará as olheiras, também não tem a capacidade de elevar as sobrancelhas. Para a elevação das sobrancelhas deve ser associado outras técnicas.

Para os asiáticos, uma modificação da técnica de blefaroplastia pode criar um vinco na pálpebra que se aproximará levemente de uma ocidentalização, mas não apagará a evidência da herança étnica ou racial, ou seja, não pode transformar uma pessoa com traços orientais em uma pessoa com traços ocidentais.

Os candidatos melhores para cirurgia de pálpebra são homens e mulheres fisicamente saudáveis, psicologicamente estáveis, e realistas em suas expectativas. Não existe uma idade ideal para a cirurgia, mas sim, a oportunidade ideal. Essa oportunidade é determinada pela presença do defeito a ser corrigido e geralmente ocorre após a terceira década. Em casos raros, com tendência familiar de flacidez de pálpebras, a cirurgia pode ser feita mais cedo.

A blefaroplastia pode ser feita isoladamente, ou em conjunção com outros procedimentos faciais de cirurgia como lifting ou elevação das sobrancelhas. Também pode ser associada a outros procedimentos como preenchimento e toxina botulínica.

 

Riscos

Algumas condições médicas fazem a blefaroplastia ser mais arriscada. Incluem problemas de tiróide tal como hipotiroidismo e outras doenças. Pessoas que apresentam falta de lágrimas, pressão alta, ou outras desordens circulatórias como doenças cardiovasculares, diabetes e doenças da retina ou glaucoma também necessitam maior cautela. Se houver dúvidas, o cirurgião plástico solicitará consulta com o cardiologista, oftalmologista e uma avaliação clínica cuidadosa antes de qualquer cirurgia.

Quando a cirurgia de pálpebra é executada por um cirurgião plástico qualificado, complicações são raras e normalmente leves. Não obstante, há sempre uma possibilidade de complicações, que incluem infecção ou uma reação à anestesia. Podemos reduzir seus riscos com uma boa avaliação pré-operatória e seguindo rigorosamente as orientações do cirurgião. Com estes cuidados os riscos são bem reduzidos.

 

Tipos de anestesia

A cirurgia de pálpebra normalmente é executada sob anestesia local que anestesia apenas a área ao redor dos seus olhos. É aplicada juntamente com sedativos orais ou intravenosos. O paciente permanecerá acordado durante a cirurgia, mas relaxado e insensível a dor (entretanto, pode se sentir alguma náusea ou incômodo). Em alguns casos, raramente, podemos utilizar anestesia geral quando se pode dormir durante a cirurgia. Mesmo com anestesia local, se houver qualquer tipo de sedação, a presença do anestesista é requerida, o que vai dar segurança ainda maior ao procedimento. O tipo de anestesia é informado para o paciente antes do procedimento, já na consulta inicial.

 

A cirurgia

A blefaroplastia leva, normalmente, em torno de 90 minutos. Dependendo do caso, existem detalhes que podem prolongar este tempo. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de centro cirúrgico, pois esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória. Seu médico poderá lhe informar quanto ao tempo total.

Num procedimento típico, o cirurgião marca o trecho de pele das pálpebras superiores que serão retirados, mantendo a cicatriz escondida na dobra da pele da pálpebra. Uma porção da pele em excesso é retirada e é suturado com técnicas de cirurgia plástica. Na pálpebra inferior, na blefaroplastia transconjutival, se tem acesso às bolsas de gordura que são retiradas. As suturas são realizadas internamente de maneira a minimizar as cicatrizes visíveis, assim os excessos de pele são retirados e as bolsas são tratadas.

 

* ATENÇÃO: Verifique se o cirurgião com o qual você pretende realizar a sua cirurgia, possui realmente formação em cirurgia plástica pelo site www.cirurgiaplastica.org.br esta é a sua melhor garantia de segurança e qualidade. 
 

MEMBRO DAS SOCIEDADES MÉDICAS
MEMBRO DAS SOCIEDADES MÉDICASMEMBRO DAS SOCIEDADES MÉDICAS
X